Espécie

Picus viridis (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Peto-verde, Peto-real, Cavalo-rinchão, Corta-pau, Pica-pau-verde, Verdeal

  • Picus viridis

Características

Com cerca de 32 cm de comprimento, o peto-verde possui a parte superior do corpo verde, o uropígio amarelo, a cauda castanho-escura e pontiaguda. A parte inferior do corpo é verde-acinzentada, apresentando a parte inferior da cauda barras castanhas. A coroa é vermelha e os olhos são envoltos por uma espécie de máscara preta. As aves de ambos os sexos são muito semelhantes, diferindo os machos sobretudo por apresentarem o centro do “bigode” de cor vermelha.


Ecologia

Ave florestal, que surge associada a zonas de bosques intercalados com áreas abertas. No norte e centro do país, ocupa pinhais, carvalhais, soutos, vegetação ripícola, sebes arbóreas, áreas de mato com arvoredo disperso e áreas agrícolas. No sul do território, a espécie ocorre sobretudo em pinhais e, em menor quantidade, em zonas de sobreiro com vegetação relativamente densa, sendo geralmente escasso ou inexistente em eucaliptais e em montados de azinho ou em montados de sobro mais abertos. Nidifica, geralmente, em buracos de árvores. A época de nidificação parece decorrer entre meados de Abril e Agosto, onde criam 1 ninhada por ano, composta por 5 a 7 ovos. O período de incubação dura entre 17 a 19 dias. Esta é uma espécie insectívora, consumindo frequentemente formigas.


Fenologia

Residente (Res)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

O Peto-verde apresenta uma distribuição restrita às zonas climáticas boreal, temperada e mediterrânica do Paleárctico Ocidental. Em Portugal é uma espécie mais comum na metade Norte e Centro-Oeste da sua área de distribuição. No Algarve é raro no litoral, excepto na zona entre Vilamoura e a lagoa do Garrão, onde parece ser regular. Pode ser visto com mais facilidade no interior, nomeadamente nas serras de Monchique e do Caldeirão.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/

http://naturlink.sapo.pt/