Espécie

Cercotrichas galactotes (Temminck, 1820)

Nome Comum

Rouxinol-do-mato, Solitário

  • Cercotrichas galactotes

Características

Ave com aproximadamente 16 cm de comprimento. Possui a parte superior do corpo arruivada com listra superciliar conspícua e dupla barra alar branca proeminente. A cauda é comprida, tem a extremidade preta e branca e está muitas vezes arrebitada e aberta em leque. Possui a parte inferior do corpo branca.


Ecologia

Habita as zonas mais quentes e secas do interior do país, frequentando sobretudo vales de ribeiras, muitas vezes associado a manchas de loendros Nerium oleander ou outra vegetação ripícola. Também pode aparecer em azinhais esparsos, por vezes com sub-bosque de esteva Cistus ladanifer. Surge ainda, afastado de cursos de água, em vinhas do interior alentejano, incluindo algumas de exploração intensiva, com sistemas de rega gota-a-gota.O rouxinol-do-mato é um migrador estival tardio, podendo ser observado entre o princípio de Maio e o mês de Agosto. Efectua 1 a 2 posturas por ano. Segundo um estudo realizado no Alentejo, o número de ovos por postura foi de 3,8 nas primeiras e de 2,8 nas segundas posturas. O período de incubação é de 13 dias. É uma ave essencialmente insectívora podendo, contudo, consumir uvas durante o Verão.


Fenologia

Migrador Reprodutor (MigRep)


Estado de Conservação

Quase Ameaçado (NT)


Distribuição Geral

Esta espécie distribui-se, como nidificante, em torno do Mediterrâneo, no Médio Oriente, na Ásia Meridional, até ao Paquistão, e no Sahel. As populações europeias invernam em África, a sul do Sara. Em Portugal, distribui-se sobretudo pelo Algarve oriental e Alentejo interior, pontualmente
também na Beira interior e, eventualmente, em Trás-os-Montes. No Algarve está presente nos vales das ribeiras afluentes do Guadiana, na região de Alcoutim, assim como na zona de Paderne.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/