Espécie

Vulpes vulpes (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Raposa

  • Vulpes vulpes

Características

Espécie com cerca de 58 a 90 cm de comprimento cabeça-corpo. A côr do pêlo é variável entre o castanho-avermelhado ao castanho-claro. As orelhas são erectas, pontiagudas e pretas na parte de trás. A cauda, comprida e espessa, pode apresentar uma mancha branca na ponta ou alguns pêlos brancos na extremidade. O focinho é afunilado com o lábio superior branco. A garganta é normalmente branca, mas em alguns indivíduos apresenta tons de cinzento-escuro metalizado, com rebordo preto, tanto na garganta como na barriga (estes indivíduos têm muitas vezes uma estrela branca no peito).


Ecologia

Espécie essencialmente nocturna e crepuscular, contudo, pode apresentar actividade durante o dia em locais mais sossegados. A época de reprodução ocorre de Dezembro a Fevereiro, nascendo as crias após 52 a 53 dias de gestação, entre Março e Maio. O tamanho da ninhada varia entre as 4 e 5 crias e têm apenas 1 ninhada por ano. A maturidade sexual é atingida aos 10 meses e as fêmeas têm 8 glândulas mamárias. É uma espécie oportunista, consumindo roedores, lagomorfos, aves, insectos (principalmente besouros), ovos, minhocas, ouriços-cacheiros, frutos e bagas. Esta espécie vive em grupos com 1 macho adulto e várias fêmeas. Ocupa especialmente matagais em mosaico, florestas e campos agrícolas. É também abundante em zonas pantanosas, montanhas, dunas de areia, subúrbios e cidades. A longevidade máxima registada é de 9 anos.


Fenologia

Residente (Res)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

Distribuição bastante alargada, encontra-se na Europa, Ásia, Norte de África e América do Norte. Em Portugal, distribui-se de Norte a Sul do país, de forma bastante contínua.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Macdonald, D. & Barret, P. (1993). Mamíferos de Portugal e Europa – Guia Fapas.

Amaro, F. (2002).Levantamento das espécies de mamíferos existentes na zona terrestre do P.N.R.F.

Lavinas, C. 2004. Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, uma contribuição para a sua gestão. Instituto da Conservação da Natureza / Centro de Zonas Húmidas

Vicente, M. (2004). Caracterização da Fauna do Parque Natural da Ria Formosa (Estudo Inserido no Âmbito da Revisão do Plano de Ordenamento do PNRF). ICN

Amaro, F. (2002). Inventariação e propostas de conservação para os micromamíferos do Parque Ambiental de Vilamoura (P.A.V.). Pequenos mamíferos e propostas de conservação. CENA.

Amaro, F. (2000). Pequenos mamíferos associados aos Sítios Classificados da Rocha da Pena e Fonte Benémola.

Rias (2010-2012). Dados de entrada de animais no Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens. Quinta de Marim.

www.naturdata.com

http://www.iucnredlist.org/