Espécie

Tyto alba (Scopoli, 1769)

Nome Comum

Coruja-das-torres, Bebe-azeite, Coruja-azeiteira, Coruja-branca

Sem imagem

Características

Coruja com aproximadamente 35 cm de comprimento. Possui o disco facial em forma de coração, olhos pretos, face achatada e branca. As formas ocidental e meridional identificam-se pela parte inferior branca. As formas orientais apresentam a parte inferior castanho-amarelada sarapintada. A parte superior é castanho-alaranjada com pintas escuras.


Ecologia

Espécie associada a biótopos abertos (como pastagens e terrenos agrícolas) ou semi-abertos (como montados pouco densos). Nas zonas agrícolas ou em áreas reflorestadas ocorre apenas em zonas com extensa rede de corredores de alimentação (pastagens), situadas ao longo das margens de valas de drenagem, rios e sebes. Nidifica em quintas, montes, moinhos, celeiros, ruínas e igrejas, e mesmo em grandes
povoações. Nidifica ainda em cavidades nas árvores ou em edifícios, fendas nas rochas e
pedreiras. A época de nidificação parece ocorrer entre Março e Junho, criando a espécie 2 ninhadas por ano, cada uma com 4 a 7 ovos. O período de incubação dura entre 30 a 31 dias. Alimenta-se sobretudo de pequenos mamíferos, particularmente Muridae, Microtinae e Soricidae e também pequenos pássaros, répteis, anfíbios, peixes e
insectos.


Fenologia

Residente (Res)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

Espécie de distribuição cosmopolita, bem distribuída no continente europeu, onde
apenas se encontra ausente no extremo norte, nos Pirenéus e nos Alpes. A sua distribuição na Europa compreende a Albânia, Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica, Bielorússia, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha (incluindo Ilhas Canárias), França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Liechtenstein, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Moldávia, Polónia, Portugal (incluindo a Ilha da Madeira), Reino Unido
(incluindo Gibraltar, Guernsey, Ilha do Homem e Jersey), República Checa, República da
Irlanda, Roménia, Suíça, Turquia e Ucrânia. Em Portugal ocorre por todo o país, sendo aparentemente mais comum no centro e
sul. No Algarve é pouco abundante, observando-se esporadicamente na ria de Alvor, na cidade de Faro, Ria Formosa, Sagres e lagoas costeiras.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

ICNB, 2006. Plano Sectorial da Rede Natura 2000.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/