Espécie

Oenanthe oenanthe (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Chasco-cinzento, Caiada, Cualvo, Rabialva

Sem imagem

Características

Ave com aproximadamente 15 cm de comprimento. O preto das rectrizes centrais e da banda terminal da cauda destaca-se da restante cauda e do uropígio que são brancos. Os machos em plumagem estival têm cinzento na coroa, nuca e dorso, mas noutras plumagens são mais acastanhados. Os machos no Outono conservam listas superciliar branca e loral preta. Os juvenis têm as penas orladas no peito e no dorso. A fêmea adulta é cinzento-acastanhada na parte superior com apenas um leve vestígio de máscara facial.


Ecologia

De Abril até ao final do Verão, ocupam prados e pastagens de montanha, campos agrícolas abertos, matos esparsos com afloramentos rochosos, caminhos e aceiros. Quando está de passagem (meados de Agosto a Outubro), ocupa a maioria dos habitats abertos, particularmente pastagens ressequidas pelo estio, restolhos, pousios, incultos, alqueives, cordões dunares e zonas de matos abertos com afloramentos rochosos ou solo nu. Criam em cavidades, que podem ser em rochas, edifícios ou muros. As posturas são constituídas normalmente por 4 a 7 ovos, que são incubados durante cerca de duas semanas. A sua dieta é composta por insectos e outros invertebrados.


Fenologia

Migrador Reprodutor (MigRep)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

Como nidificante, distribui-se pelas zonas temperadas de todo o hemisfério norte, desde a Europa ao Alasca passando pela Sibéria e desde o Canadá à Islândia passando pela Gronelândia. É um migrador de longa distância cuja população inverna exclusivamente em África, mesmo os indivíduos que nidificam no Novo Mundo. Em Portugal, como nidificante, está confinado às serras do extremo norte do país. Como migrador pós-nupcial, é comum aparecer em quase todo o país. No Algarve pode ser observado em vários locais como o Baixo Guadiana, reserva de Castro Marim, Ria Formosa, Lagoas costeiras, Lagoa dos Salgados, estuário do Arade, ria de Alvor, Sagres, serras de Monchique e Caldeirão e ao longo da zona marinha algarvia.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/