Espécie

Oenanthe hispanica (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Chasco-ruivo, Chasco-branco, Cualvo, Terroeiro

Sem imagem

Características

Esta espécie tem cerca de 14 cm de comprimento.O macho adulto caracteriza-se pelos tons alaranjados, contrastando com a máscara e as asas pretas. A cauda tem as penas centrais pretas, sendo as restantes penas predominantemente brancas. Os machos de chasco-ruivo ocorrem em duas formas – a denominada forma clara, na qual a máscara apenas abrange a zona ocular, formando uma máscara tipo “zorro”, e a forma escura, na qual a máscara também abrange o queixo e a garganta. Em Portugal predominam as aves da forma escura. A fêmea é mais acastanhada, parecida com a de chasco-cinzento, mas com máscara mais escura e área escura mais extensa nas asas.


Ecologia

Encontra-se em espaços abertos, variando os detalhes do seu habitat de região para região. Factor importante para a sua ocorrência é a existência de áreas de solo nu ou de rocha. Frequenta alqueives, pousios, aceiros, caminhos, plantações jovens e uma grande diversidade de outros habitats com características similares. Prefere zonas de baixa altitude e com clima quente e seco.O ninho é feito no solo numa cavidade pouco profunda, debaixo de pedras, no meio de vegetação densa, ou na base do matagal
denso. O canto dos machos pode ser ouvido desde finais de Março até meados de Junho. Criam, normalmente 1 ninhada por ano, cada uma constituída por 4 a 5 ovos. O período de incubação dura entre 13 a 14 dias. A dieta alimentar é constituída por vários invertebrados, principalmente Hymenoptera, Coleoptera e larvas de Lepidoptera. Também consome algumas frutas e sementes.


Fenologia

Migrador Reprodutor (MigRep)


Estado de Conservação

Vulnerável (VU)


Distribuição Geral

Nidifica em latitudes baixas e médias, em regiões quentes mediterrânicas e de estepe. A sua área de nidificação estende-se desde a Ásia Oriental ao Sudoeste Asiático, Europa e do Sul ao Noroeste de África.Na Europa a sua área de distribuição compreende a Albânia, Bulgária, Croácia, Espanha, França, Grécia, Itália, Portugal e Roménia. Inverna no Sul do Saara, numa faixa que se estende através de África, desde o Senegal à Etiópia. Em Portugal continental o Chasco-ruivo ocorre de norte a sul, sendo particularmente abundante no sul do território, onde encontra maiores disponibilidades de habitat, estando praticamente ausente das regiões litorais para norte de Lisboa. No Algarve observa-se na zona de Alcoutim, na serra de Monchique e junto ao cabo de São Vicente. Ocorre ainda na serra do Caldeirão e em alguns locais junto à costa.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

ICN, 2006. Plano Sectorial da Rede Natura 2000.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/