Espécie

Erithacus rubecula (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Pisco-de-peito-ruivo, Papinho, Porco-bispo

Sem imagem

Características

Tem aproximadamente 14 cm de comprimento, o peito e as faces ruivas. O dorso e as asas são castanhos e os lados do peito são cinzento-claros. O abdómen é branco. Os juvenis são acastanhados e malhados. Tem a cabeça grande, o bico fino e olhos grandes e escuros.


Ecologia

Frequenta bosques diversos, terrenos arborizados húmidos e galerias ripícolas. No Inverno encontra-se em todo o tipo de habitats com árvores ou arbustos, incluindo parques e jardins.A população residente começa a reprodução a partir do mês de Março, sendo a maioria das posturas feitas em Abril, Maio e Junho. Os ninhos são construídos em pequenas cavidades pouco profundas, numa grande variedade de substratos como árvores, rochas, taludes ou estruturas artificiais. Segundo estudos europeus, os piscos-de-peito-ruivo tentam criar 2 ninhadas por ano, sendo cada uma delas composta por 4 a 6 ovos. O período de incubação dura cerca de 14 dias. Durante a Primavera e o Verão, esta espécie alimenta-se, maioritariamente, de insectos. No Inverno, consome abundantemente frutos carnudos como azeitonas, bagas, pedaços de bolota e pequenos invertebrados.


Fenologia

Residente & Visitante (ResVis)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

A espécie habita em zona adequada da Europa, das ilhas do Atlântico (Canárias, Açores etc.), da Ásia Menor, da Ásia ocidental e da África norte-ocidental. As várias populações são sedentárias e migratórias e vão invernar nas partes centrais e meridionais das áreas (na África até o Saara). Em Portugal distribui-se por todo o país, sendo mais abundante no norte e centro durante a época de reprodução. No Algarve, no período reprodutor, apenas ocorre nas encostas viradas a norte das serras de Monchique e Caldeirão, vales das ribeiras de Odeceixe e de Aljezur e costa vicentina, mas a partir de Outubro é numeroso em toda a região.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

Atualidades Ornitológicas Nº 132 – Julho/Agosto 2006.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/