Espécie

Crithmum maritimum (L.)

  • Crithmum maritimum
  • Crithmum maritimum
  • Crithmum maritimum

Descrição

Erva perene erecta ou ascendente, com rizoma lenhoso rastejante, cinzenta-azulada e desprovida de pelos, aromática. Caules de até 15-50 cm muito ramificados, estriados, maciços, frequentemente com restos de bainhas foliares. Folhas verde-claras, brilhantes, 2-3 penatissetas, carnudas, de contorno triangular, com segmentos terminais espessos, de 1 a 5 cm linear-lanceolados e subagudos; as superiores são ligeiramente mais curtas, têm pecíolos curtos e bainhas que sobrepõem todo o diâmetro do caule. Flores dispostas em umbelas verde-amareladas com 8 a 36 raios, lisos. Frutos amarelados ou purpúreos, ovoides e lisos.


Ecologia

Ocorre em fendas de rochedos em arribas ou esporões litorais, raramente em areia ou cascalho.


Habitat

Arribas litorais


Tipo Fisionómico

Hemicriptófito


Época Floração

Maio-Outubro


Estatuto de Protecção

Não tem


Sinonímias

Não tem


Distribuição Geral

Costas europeias e norte-africanas Atlânticas, Mediterrânicas e do Mar Negro e Macaronésia (excepto Cabo Verde)


Observações

Apresenta propriedades antiescorbúticas, já conhecidas pelos navegadores que as levavam nas viagens marítimas, onde era consumida em calda com sal e vinagre. Tem acção carminativa, tónica e depurativa; é usada para promover a perda de peso e para combater a apatia. As folhas curtidas facilitam a digestão, actuando como diuréticas. As raízes, a semente e as folhas cozidas com vinho e bebido o sumo, são úteis à retenção da urina, à icterícia e provocam a menstruação. As folhas apresentam interesse culinário, onde podem ser utilizadas conservadas em calda e comidas em saladas temperadas, servindo e acompanhamento para pratos de a carne; podem ser comidas cruas ou cozidas e conservam-se em salmoura; são utilizadas em saladas, em conserva e cozinhadas em manteiga.

Distribuição Geográfica