Espécie

Circus cyaneus (Linnaeus, 1766)

Nome Comum

Tartaranhão-cinzento

Sem imagem

Características

Tartaranhão de tamanho médio, com 45-50 cm de comprimento e 100-120 cm de envergadura. O macho é cinzento-claro na parte superior com uropígio branco e extremidades das asas pretas, o peito é cinzento e a restante parte inferior é branca. A fêmea e os jovens são castanhos na parte superior com uropígio branco conspícuo e possui malhados de castanho e castanho-amarelado na parte inferior.


Ecologia

O tartaranhão-cinzento instalam os ninhos no chão, normalmente cobertos de vegetação densa. As posturas são compostas por 4-6 ovos e o período de incubação dura cerca de 29-31 dias.O habitat da população nidificante em Portugal é formado por terrenos abertos revestidos por matos baixos e por pinhais jovens, entre-cortados por searas e pastagens de altitude, sendo os matos preferidos como biótopo de nidificação.
No Inverno o habitat utilizado pelos tartaranhões-cinzentos é bastante variado. Nas terras baixas e planas consiste em culturas arvenses de sequeiro (searas, restolhos, pousios e alqueives), pastagens, matos e montados relativamente abertos de azinho e sobro e nas serras, em matos baixos e pouco densos, pastagens, lameiros e pinhais jovens. Ocorre também em zonas húmidas do litoral e interior (açudes, sapais, pauis, canteiros de arroz, etc.) .A dieta consiste numa grande variedade de pequenos mamíferos (ratos e coelhos e
lebres jovens), aves jovens nidifugas e outras pequenas aves tanto jovens como adultas. Também insectos, embora em pequenas quantidades.


Fenologia

Residente & Visitante (ResVis)


Estado de Conservação

CR & VU


Distribuição Geral

O Tartaranhão-cinzento, segundo Sibley & Monroe (1990), é uma espécie Holárctica com distribuição que abrange grande parte do continente americano e da Eurásia, nesta última distribui-se desde a Península Ibérica ao Kamchatka, Ilhas Sacalinas e Curilas. Cerca de um terço da sua área de distribuição global concentra-se na Europa, nomeadamente na Alemanha, Bélgica, Bielorússia, Dinamarca, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Holanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Moldávia, Noruega, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, República da Irlanda, Rússia, Suécia e Ucrânia.A subespécie ocorrente no Paleárctico é Circus cyaneus cyaneus, que é migadora no Norte e Nordeste da Europa, efectuando apenas movimentos parciais ou comportando-se como sedentária noutras
regiões deste continente. Em Portugal, segundo Onofre et al. (1995), a espécie ocorre como nidificante apenas numa
estreita faixa situada no extremo norte, correspondendo a um prolongamento da população espanhola do norte da península. No Inverno o Tartaranhão-azulado ocorre em grande parte do território, praticamente de norte a sul, com a maioria das observações registadas no Alentejo. No Algarve, alguns exemplares ocorrem junto ao cabo de São Vicente e na ria de Alvor durante a passagem outonal, existindo evidências da invernada da espécie na península de Sagres e na reserva de Castro Marim.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

ICN, 2006. Plano Sectorial da Rede Natura 2000.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/