Espécie

Circus aeruginosus (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Águia-sapeira,  tartaranhão-ruivo-dos-pauis, Cabiçalva, Sapeiro, Tartaranha

Sem imagem

Características

Ave com 45-55 cm de comprimento e 115-135 cm de envergadura. Os machos adultos são tricolores (castanho, cinzento e preto). As fêmeas e o juvenis são cor-de-chocolate. As fêmeas adultas têm branco ou dourado no bordo da asa e na cabeça. Os juvenis têm as coberturas infra-alares muito escuras e a cabeça creme.


Ecologia

A nidificação desta espécie ocorre sobretudo em caniçais. As posturas são efectuadas, geralmente, em Março e Abril, e constituídas por 3 a 8 ovos, que são incubados entre 31 a 38 dias.O habitat da população reprodutora em Portugal é formado por zonas húmidas (estuários, lagoas, pauis, sapais, albufeiras, etc.), nidificando principalmente em caniçais Phragmites australis, mas também em zonas mistas com tabúas Thypa spp., juncos Juncus spp., salgueiro Salix spp., tamargueira Tamarix spp., sapais e caçando nos habitats abertos envolventes (caniçais, sapais, vala, arrozais, searas, pastagens e espelhos de água). Alimenta-se principalmente de animais de pequeno e médio porte, nomeadamente aves (principalmente aquáticas, incluindo adultos e ovos), mamíferos (roedores) e, em
menor proporção insectos, sapos, cobras e peixes.


Fenologia

Residente & Visitante (ResVis)


Estado de Conservação

VU & VU


Distribuição Geral

Nidifica no Paleárctico, desde a Península Ibéria e Marrocos até à Ásia Menor e Ásia
Central, com populações residentes ou dispersivas no Oeste europeu e em toda a franja sul da sua área de distribuição, sendo as restantes migradoras. Inverna principalmente nos países circum-mediterrânicos, incluindo França,
na África subsariana e no subcontinente indiano. Em Portugal continental, a população reprodutora de águia-sapeira distribui-se ao longo da faixa costeira ocidental, limitada às principais zonas húmidas, das quais se destacam o estuários do Tejo e Sado, a ria de Aveiro e o baixo Mondego. A população invernante distribui-se principalmente pelos mesmos núcleos, embora apresente uma distribuição mais alargada, estando presente em diversas zonas húmidas onde não ocorre durante o período reprodutor. No Algarve ocorre regularmente em Vilamoura, na lagoa dos Salgados, na reserva de Castro Marim, na ria Formosa e no Ludo. Algumas aves podem ser observadas junto ao Cabo de São Vicente e na península de Sagres, durante a passagem outonal.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

ICN, 2006. Plano Sectorial da Rede Natura 2000.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/