Espécie

Buteo buteo (Linnaeus, 1758)

Nome Comum

Águia-d'asa-redonda, Miadeira, Milhafre, Minhoto

Sem imagem

Características

Ave de rapina com 50-55 cm de comprimento e 110-135 cm de envergadura. É uma ave média e compacta, com as asas largas e arredondadas, cabeça pouco proeminente e cauda algo curta. Apresenta uma plumagem altamente variável desde o castanho-escuro com as asas com listras de tons claros até a branco-creme com as margens das asas escuras. Quando se apresenta com a fase escura tem uma característica marca
em meia-lua presente no peito, que contrasta com os tons de castanho. A cauda é muito listrada ou creme, quase branca. Apresenta sempre manchas escuras nas juntas carpais e nos lados do peito.


Ecologia

Frequenta áreas florestais diversas, aparecendo, no Inverno em zonas menos florestadas como sequeiros, regadios e arrozais. Em Portugal, constrói o ninho em árvores, sobretudo em carvalhos, sobreiros, azinheiras e pinheiros. A época de nidificação inicia-se em finais de Fevereiro, observando-se já em Junho juvenis voadores. O período de incubação dura cerca de 33 dias e as posturas são compostas por 3-4 ovos. A sua alimentação é muito variada, incluindo pequenos mamíferos, aves, répteis, anfíbios, insectos e vermes.


Fenologia

Residente (Res)


Estado de Conservação

Pouco Preocupante (LC)


Distribuição Geral

Distribui-se por toda a Europa, Norte e Sul de África e zona central e sul da Ásia. No território português, encontra-se bastante bem distribuída, sendo a única espécie de ave de rapina presente em todas as regiões do país. É comum, escasseando apenas nos extremos norte e sul de Portugal Continental. Os números desta espécie aumentam durante o Inverno devido à chegada de efectivos provenientes do Norte da Europa. No entanto, a nossa população é basicamente residente, pelo que pode ser encontrada durante todo o ano. No Algarve é consideravelmente mais escassa que no restante território. Pode ser observada junto ao cabo de São Vicente durante a passagem outonal, assim como na ria de Alvor. Durante a época de reprodução pode ser observada nas serras de Monchique, Caldeirão, reserva de Castro-Marim, ria Formosa, entre outros sítios.

Distribuição Geográfica

Referências

Cabral, M.J.(coord.), Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand de Almeida, N.,Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queiroz, A.I., Rogado, L. & Santos‐Reis, M. 2005.Livro vermelho dos vertebrados de Portugal. 2ª ed. Instituto da Conservaçãoda Natureza/ Assírio & Alvim. Lisboa. 660 pp.

Catry, P., Costa, H., Elias, G., Matias, R., (2010). Aves de Portugal. Ornitologia de território continental. Assírio & Alvim, Lisboa.

Costa, H., Juana, E., & Varela, J. (2011). Aves de Portugal incluindo os arquipélagos dos Açores, da Madeira e das Selvagens.

Gooders, J. (1994). Guia de campo das aves de Portugal e da Europa. Círculo de Leitores.

Assírio & Alvim (2008)- Atlas das aves nidificantes em Portugal.

Turismo do Algarve (2012). Guia de observação de aves no algarve.

http://www.iucnredlist.org/

http://avesdeportugal.info/